Logotipo Fundação Itaúsa

Desempenho em Março/2021


 
 
Fundação Itaúsa · Podcast Parceiros do Futuro - Resultados Março/2021

A volatilidade nos mercados globais permaneceu em alta, atrelada principalmente aos seguintes fatores: ritmo de vacinação e casos de Covid-19 nas principais economias; dados da atividade econômica e inflação nos Estados Unidos; aprovação do pacote de estímulo em US$ 1,9 tri e proposição de um novo pacote de US$ 2,0 tri para investimentos em infraestrutura. Esse ambiente fiscal, somado às notícias construtivas a respeito da vacinação, reforçam a expectativa de forte crescimento econômico no segundo trimestre.

Os investidores seguiram preocupados pela aceleração da inflação americana, já que os juros dos títulos tiveram um aumento significativo no mês. Por ora, esse movimento não é tido como preocupação pelo O banco central norte-americano (Federal Reserve - FED), uma vez que a autoridade entende que a elevação das taxas reflete confiança na retomada da atividade econômica.

No Brasil, o ambiente econômico continua incerto, resultado da combinação do forte avanço da Covid-19 e das disputas políticas em torno de mais recursos, impedindo a redução da incerteza fiscal.

O ritmo do quadro inflacionário seguiu piorando. Sob a ótica da política monetária, a elevação da inflação esperada para 2021, a possibilidade de contaminação das expectativas de horizonte mais longo e o balanço de riscos desfavorável foram os principais fatores que influenciaram, na última reunião do COPOM, a alta da Selic em 75 bps, alcançando 2,75%. O resultado mostra que a taxa de juros de equilíbrio pode ser mais alta do que a inicialmente prevista pelo mercado.

No segmento de ações, o Ibovespa seguiu o bom humor externo e fechou o mês com alta de 6%, chegando próximo de zerar as perdas do ano. Além disso, o dólar seguiu em alta de 3,02% no mês.

O IPCA divulgado em março registrou alta de 0,93%. Com essa aceleração, o indicador acumulado em 12 meses supera o teto da meta para a inflação no ano.


Plano de Benefícios de Contribuição Definida – PAI-CD


Performance abr/2020 a mar/2021

Indicador abr/20 mai/20 jun/20 jul/20 ago/20 set/20 out/20 nov/20 dez/20 jan/21 fev/21 mar/21 Acumulado
12 meses
Acumulado
desde início*
Perfil Conservador 0,28 0,41 0,45 0,47 0,18 -0,02 0,19 0,26 0,49 0,04 0,16 0,22 3,17 78,10
Perfil Moderado 3,44 2,18 2,68 2,35 0,24 -1,14 -0,03 2,94 2,35 -0,26 -0,64 0,99 16,04 105,40
Perfil Agressivo 5,30 3,35 3,97 3,73 -0,11 -1,88 -0,19 4,89 3,49 -0,52 -0,93 1,22 24,33 115,69
CDI 0,28 0,24 0,21 0,19 0,16 0,16 0,16 0,15 0,16 0,15 0,13 0,20 2,21 71,30
Ibovespa 10,25 8,57 8,76 8,27 -3,44 -4,80 -0,69 15,90 9,30 -3,32 -4,37 6,00 59,75 90,33
IMA-B 1,31 1,52 2,05 4,39 -1,80 -1,51 0,21 2,00 4,85 -0,85 -1,52 0,93 11,92 120,81

* A data de início considerada é 01/09/2014, quando o Plano PAI foi dividido em 3 perfis.



Perfil:
Índices:
Período:
a

Performance abr/2020 a mar/2021


Performance Comparativa *

Perfil:
Índices:
Período:
a

* A rentabilidade aqui divulgada representa o retorno dos investimentos, sendo que a taxa que incide sobre o saldo de participante ainda sofre ajuste contábil como a incidência das despesas administrativas.


Alocação dos Perfis (%)



Plano de Benefício Definido – BD


Performance abr/2020 a mar/2021

Indicador abr/20 mai/20 jun/20 jul/20 ago/20 set/20 out/20 nov/20 dez/20 jan/21 fev/21 mar/21 Acumulado
12 meses
Acumulado
desde início*
Consolidado Plano BD 0,36 0,23 0,44 0,67 0,65 0,66 0,91 0,94 1,35 1,17 0,55 1,21 9,51 294,30
Meta Atuarial 0,00 0,07 0,63 0,81 0,00 1,21 1,23 1,27 0,00 3,70 1,08 0,00 10,41 101,69

* Data de início 01/02/2008.